Para Refletir

A Campanha da Fraternidade de 2018 nos chama a refletir sobre o combate à violência nas diferentes formas em que esta se apresenta: direta, cultural e institucional.

A violência direta se dá através de assaltos, homicídios, sequestros e estupros, é a mais temida e amplamente divulgada na mídia.

Já a violência cultural pode ser física ou psicológica. É aquela que é cultivada em nossa sociedade, geralmente carregada de preconceitos e tenta justificar atos violentos pela postura da vítima.

Por fim, a violência institucional que, apesar de silenciosa, acomete grande parte da população. É aquela impede que as pessoas tenham condições de receber tratamentos de saúde, medicamentos, se alimentar ou ter acesso a educação de qualidade. A corrupção é uma violência cruel e que causa milhares de mortes todos os anos em nosso país.

Identificar as formas de violência é o primeiro passo para combatê-las e reduzir a violência institucional, proporcionando oportunidades iguais a todos, é o caminho para reduzir a violência direta. 

Contribuir para que isso se torne realidade é pôr em prática o lema da campanha e em Cristo sermos todos irmãos.

Escrito por Ana Paula Silveira Pereira

Ex-aluna de Teologia e Diretora do IMA

Ana Paula Silveira Pereira
0
0
0
s2sdefault

Artigos Anteriores