Palavras da Diretoria

Adeus ao Andrezinho Cidadão

“Já está chegando à hora de ir, venho aqui me despedir e dizer. Em qualquer lugar por onde eu andar, vou lembrar de você. Só me resta agora dizer adeus, e depois o meu caminho seguir...” Roberto Carlos nos ajuda a expressar o que sentimos nesse momento.

Sair pela cidade, encontrar crianças e adolescentes em situação de rua e formar vínculos para ajudá-los a recuperar sua cidadania e sonhar com um futuro melhor – se possível fora das ruas. Era este o serviço social realizado pelo Andrezinho Cidadão, fruto de uma parceira entre o Instituto Monsenhor Antunes e a Prefeitura de Santo André.

Em 2007, quando começamos o trabalho, havia cerca de 220 adolescentes nas ruas da cidade. Com o passar do tempo, ganhamos a confiança destes e de suas famílias e, com isso, reduzimos esse número para aproximadamente 45. Estes, que resistem, incomodam aos querem onde estão, esperando que alguém os tire das ruas, pois lá estando sinalizam e denunciam o fracasso do sistema de garantia e direitos. Além disso, expõem a situação alarmante do desemprego no país, que impede pais e mães de família garantir o sustento de seus filhos que, vendo a oportunidade de outros adolescentes de famílias mais estruturadas buscam nas ruas condições de ter parte do que nunca puderam sonhar.

Nosso objetivo era chegar a zero, no entanto, as ruas são um grande concorrente para nossos bravos educadores(as) que com muita criatividade e dedicação precisavam encontrar modelos de superar os atrativos que elas trazem: sensação de liberdade, protagonismo de vida, pertencimento de grupo, e principalmente dinheiro. Muitos perigos rondam esses pequenos: acidentes, discriminação, violência, fantasias e drogas. No entanto, o maior perigo é a falta de justiça e oportunidades.

Nossa cidade foi umas das poucas que ganhou duas vezes o prêmio de Cidade Amiga das Crianças entre todas as cidades do país, por sua preocupação e trabalho com os pequenos. Numa das vezes que ganhamos o prêmio, os entrevistadores da Fundação Abrinq, organizadora do prêmio, afirmou que o programa “Andrezinho Cidadão” era um diferencial que dava ao Município de Santo André uma condição maior de vencer a disputa. O “Andrezinho cidadão” do Instituto Monsenhor Antunes ainda é até hoje o único serviço da região do ABCDMRP a ganhar prêmio da UNESCO-CRIANÇA ESPERANÇA. Tivemos também outros prêmios além desses, o que muito nos orgulha do trabalho realizado.

No mês de Setembro, completaríamos 10 anos à frente do Andrezinho Cidadão, mas uma carta da Prefeitura encerrou essa caminhada. Desejamos agora que as crianças e adolescentes de rua de Santo André encontrem apoio e perspectiva de vida nessa nova fase de programa de abordagem, e que o CRAMI tenha sucesso no desafio de tocar adiante esse que era um dos mais destacados e premiados programas da cidade.

Escrito por Roberto de Andrade Júnior

Coordenador Geral

Roberto de Andrade Júnior
0
0
0
s2sdefault

Artigos Anteriores