Depoimento

Tenho 52 anos, fiquei em situação de rua durante 3 anos, bem debilitada. Eu e meu marido, o Marcelo, que ainda tá na rua, a gente morava numa casa, pagava aluguel, eu ajudava, fazia uns bico de costureira, trabalhava sempre. Sou costureira industrial, né?

Só que aí ele perdeu o emprego. Ele trabalhava numa estação de coleta da prefeitura. Foi mandado embora, e ele é que bancava mais a casa, ganhava mais do que eu. Nóis tentamo manter, mas num dava… Vendemo tudo que nóis tinha e fomo morar na rua. Ninguém dos parente quis apoiar a gente, pois não tinha como, as pessoas também tava passando necessidade e a gente sabe que precisam de privacidade, né?

Minha cunhada Angela ajudava muito a gente, que ficava uns dias na casa dela. Ela gostava muito da gente, mas não tinha como morar lá. Tinha marido, filho.

Eu já tinha morado na rua, mas por pouco tempo. Depois que eu conheci meu marido, faz 9 anos que eu tô com ele, eu já tinha um histórico alcóolico, né? Só que quando nóis tava junto, era mais tranquilo, nóis bebia pra tirar um baratinho e tal. Só que na rua, as coisa se tornou muito difícil. Ter que dormir “engaiada”, entendeu?

Não tenho do que reclamar, teve a Casa Amarela, que acolheu muito a gente. Fiquei 3 anos indo na Casa Amarela, agora que eu tô aqui.

Aí ele começou a beber também,e não era de beber. Arrumamos um carrinho de reciclagem, não ficamos sem fazer nada, né? Trabalhamos, nóis pegava papelão… Só que aí começou muita briga, sabe? Eu xingava ele, ele me xingava, nóis saia na mão até. Os dois bebendo, essa dificuldade na rua. Nós já brigamo muito, muito, demais, né?

Só que aí, eu gosto muito de conversar, de procurar ajuda. Então, eu tava falando com a assistente social lá da Casa Amarela, expricando meu caso, ela me encaminhou pro CAPS (Centro de Atenção Psicossocial). Eu fiz um tempinho e parei. Aí ela conversou comigo e eu voltei. Tanto que na rua eu já tava melhor. Tava melhorando, fiquei uns dia sem beber, quase 10 dias sem beber. Voltei a beber por causa dos problema com a família, né? Fiquei revoltada com a minha família e aquelas brigas com ele continuando… Mas a Nair sempre trabalhando comigo lá na “Amarela”, né? Continuando no CAPS, tudo. Aí um dia ela falou: Rita, você vai pra Casa Mais Vida, foi numa sexta feira. Ela disse, na segunda você vai. Aí foi quando eu caí, que eu tava 10 dia sem beber e caí...Bebi mesmo, não quis nem saber, passou uns 10 dias eu voltei lá. Elas me cataram e falaram “vocẽ vai hoje para a Mais Vida”. 

Olha, foi uma bença de Deus, nossa, foi maravilhoso! Faz 40 dias, sóbria (ó, dá vontade de chorar…). Tô muito feliz. Vou toda quarta feira no CAPS, hoje mesmo eu falei lá, eu tenho vontade, eu sonho, mas eu tô lutando contra isso e vou conseguir. Agora que eu tô conseguindo, minha filha veio aqui me visitar, ela viu que eu tô bem, tá feliz. A minha outra filha da Praia Grande, tá tudo certo dela vim me buscar pra passar Natal lá. Essa Casa Mais Vida me deu vida de verdade! Graças a Deus, primeiramente, à Nair, à Léia, à Conceição, essa maravilhosa Rozi, que me acolheu, todos da Casa, eu amo todos.

Eu vi meu marido quarta feira passada, ele é muito tímido. Ele quer vim me ver, mas, né?

Aí ele falou pra mim que não tá ficando mais assim na rua, a irmã dele tá acolhendo ele mais, agora. Ele falou pra mim que o sobrinho dele abriu um negócio de polimento de carro e disse que ia ensinar ele e pegar ele pra trabalhá. E ele ia morar lá com a irmã.

Eu falei pra ele: vamo viver de verdade, que aquela vida que a gente tava na rua é desumana, né? Mas eles gostam, fazer o quê? É uma ilusão, um engolindo o outro, sabe? Muita briga, por causa do álcool, muitas drogas na rua. Ele parou um pouco de beber.

Eu tô no céu, agradeço a Deus quando tá chovendo, obrigado que eu tenho um colchão, uma cama pra dormir.

Eu quero melhorar. Perdi muita coisa, bebia pinga mesmo, sabe? Olha, minhas netas tão com 7 meses, eu não pude ajudar minha filha na dieta, dar banho nas minha netas… Perdi, mas agora vou ter muito tempo pra viver tudo isso!

 

Rita de Cássia Aparecida Santos

Moradora Casa Mais Vida Santo André

0
0
0
s2sdefault

Artigos Anteriores