Depoimento

Eu passei o Natal na rua em 2014 e em 2016 porque não tinha lugar pra ficar. Passei sozinho e ficava andando a noite toda porque tinha medo de dormir e alguém fazer maldade comigo, um monte de gente não tava nem aí pra mim.

Eu tenho família e senti saudade, mas minha família não pode ficar comigo porque nunca gostou de mim. Eu gostaria que eles viessem me visitar, aí minha mãe vinha me visitar, mesmo que ela me abandonou, mas ela é mãe minha, né? Tem perdão. Lembro um pouco dela, quando eu era criança. Agora ela tá diferente, tem até marido. Eu tinha uns 12 anos quando fugi de casa, por causa das brigas. Depois o Conselho Tutelar me viu na rua e eu fiquei no abrigo. Quero que venha a minha vó, minha tia, meus irmãos, mas eles moram muito longe, em Minas, não tem como virem.

Em 2016 eu tava na rua e parei numa casa, de dia, depois de andar a noite toda, e a pessoa viu que eu tava morrendo de sono e me deu abrigo. Dormi na casa da pessoa, comi lá, tomei banho e tudo, troquei até de roupa. Tinha uma família lá, criança, adulto também. Eu senti uma emoção, quase que eu chorei. 

A pessoa perguntou onde eu morava e falei que era aqui na Casa Mais Vida. Quase eles me levaram aqui na Casa, mas não sabiam se eu tava morando ou não, né? No outro dia fui embora. Ninguém me achou na rua, esperei amanhecer e depois eu fui no CREAS (Centro de Referência em Assistência Social). Daí, no CREAS, a assistente social me colocou aqui na Casa Mais Vida, depois me falou da casa nova, que é a Residência Inclusiva. Faz uns 5 ou 6 meses que eu tô na casa e eu tô bem aqui. O Natal desse ano vai ser bom, vai ser melhor que na rua, porque na rua é terrível. Vai ser bom pra mim. Eu já conhecia a Rozi, o Roberto, há uns 7 anos, já.

Pra mim o Natal é tudo, porque o Natal é o nascimento de Jesus. Antigamente eu achava que Jesus tinha me abandonado, não acreditava nele, xingava muito, falava palavrão, que eu tava na rua, mas Jesus não me abandonou. Ele tava do meu lado o tempo todo, era só eu acreditar que ia me ajudar de tudo. Agora ajudou.

Mas agora eu tô feliz, né? Tô até namorando, faz uns 3 meses, uma menina da igreja, tô noivo já e vou casar.

Diego José de Souza

Morador Residência Inclusiva de Santo André

0
0
0
s2sdefault

Artigos Anteriores