Depoimento

Trabalho com Pessoas com Deficiência

Sou psicóloga graduada na Universidade Metodista de São Paulo. No período de graduação tive oportunidade de estagiar em três instituições voltadas ao trabalho com pessoas com deficiências intelectual e/ou físicas: APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Diadema; Associação de Reabilitação Coração Valente; CAIS (Centro de Atenção a Inclusão Social). Atualmente, atuo como Técnica Social na Residência Inclusiva, Casa Mais Vida SBC, a qual atende a 16 adultos com deficiência intelectual.

Estas experiências profissionais geraram grande impacto na minha formação, tanto como profissional quanto como ser humano. No decorrer destas atuações, desenvolvi habilidades de enxergar potencialidades e construir estratégias visando à autonomia e desenvolvimento de pessoas nas mais diversas condições. Aprendi sobre o valor da ética e do respeito às diversas formas do ser humano se relacionar com o mundo e com ele próprio.

Aprendi também que o papel do Psicólogo, principalmente aquele que atua com pessoas com deficiência, vai muito além daquela atuação engessada e estereotipada, a qual se resume em catalogar sintomas, escutar queixas e elaborar diagnósticos. O papel do psicólogo é dinâmico, exige constantes reavaliações e adequações e é pautado na escuta, compreensão, no vínculo, na empatia e no acolhimento.

Atuando nesta área torna-se evidente que cada ser humano é único, complexo, e com características, histórias de vida e necessidades diferentes. E não importa o grau de comprometimento gerado pelas deficiências, pois as pessoas sempre encontram meios de expressar suas necessidades e sentimentos, e nós, profissionais da psicologia, precisamos estar atentos para identificar estes meios e compreender estas demandas.

Por fim, em minha experiência atuando com pessoas com deficiência, aprendi prioritariamente que a escuta, as intervenções e conscientizações realizadas não devem ser limitadas apenas aos atendidos, mas devem alcançar os familiares e comunidade, a fim de possibilitar a quebra de estigmas e preconceitos, facilitando a inclusão social.

Carolina Ribeiro da Silveira

Técnica Social - psicóloga

0
0
0
s2sdefault

Artigos Anteriores