Cidadania e Inserção Social

No dia 20/02, comemoramos o Dia Mundial da Justiça Social, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 26/11/2007, com objetivo de alertar toda a população mundial sobre a necessidade do constante combate à fome, desemprego e exclusão.

Por qual motivo precisamos de um dia para nos alertar e refletir sobre isso?

Obviamente, não é para comemorarmos, mas, sim, lutarmos por justiça social.

Vivemos em uma sociedade que prioriza o dinheiro ao invés do ser humano, meio ambiente e qualquer tipo de vida. Esse sistema, o capitalismo, tem sido alvo de constantes críticas por parte do papa Francisco.

Essa desigualdade gera distorções sociais gritantes, como vimos recentemente. As oito pessoas mais ricas do mundo tem o dinheiro equivalente ao de 3,6 bilhões de pessoas, metade do mundo! No Brasil é pior: as seis pessoas mais ricas do país têm o dinheiro de 100 milhões de brasileiros.

Tantos recursos concentrados nas mãos de pouquíssimos só pode levar ao total desequilibro social, a gerar miséria e violência. A raiz dos nossos males está na distribuição desigual dos recursos.

Enquanto não entendermos que essa é a raiz dos problemas, miséria, exclusão e morte serão regra do nosso mundo.

Se, de fato, amamos nosso próximo, urge nos posicionarmos claramente contra todo e qualquer tipo de injustiça, urge colocarmos as exigentes ações de amor em prática. Urge ajudarmos os que necessitam.

Sobretudo, urge lutarmos contra esse sistema que mata todos os dias milhões e milhões de pessoas.

Escrito por Ana Paula Silveira Pereira

Ex-aluna de Teologia e Diretora do IMA

Ana Paula Silveira Pereira
0
0
0
s2sdefault

Artigos Anteriores