Cidadania e Inserção Social

O Programa Escola Sem Partido é uma proposta de lei que torna obrigatória a afixação em todas as salas de aula do ensino fundamental e médio de um cartaz com diretrizes que refletem, em suma, o cerceamento dos direitos dos professores em poder expressar suas ideias, opiniões e convicções sobre os mais variados pontos de debate que cercam nossa vida.

Trata-se de um projeto que busca silenciar, que busca criar um ambiente social de conforto e conformismo, em contradição com o que acreditamos ser a educação de qualidade. A boa educação nos leva à reflexão, ao debate, às diferentes visões e caminhos que somente um espaço plural pode oferecer. Por si só, o ato de educar já é um ato político.

Com tamanha sabedoria, marca registrada deste grande educador chamado Paulo Freire, há tempos já alertava para projetos como este: “seria uma atitude ingênua esperar que as classes dominantes desenvolvessem uma forma de educação que proporcionasse às classes dominadas perceber as injustiças sociais de maneira crítica”.

Assim sendo, que possamos ser combativos em frear projetos como este. Projetos que não vêm para libertar, mas para silenciar. Nossos jovens precisam de vez, nossos jovens precisam de voz, e para isso precisamos de educadores livres e com direito a expor suas ideias, experiências e convicções.

Escrito por Anderson Alves

Ex-aluno de Teologia e Diretor do IMA

Anderson Alves
0
0
0
s2sdefault

Artigos Anteriores